O básico para criar um sermão

Existem muitas teorias sobre como preparar um sermão religioso. Os estudantes de teologia devem no mínimo estudar homilética1, mas antes disto precisa dominar a exegese2 e a hermenêutica3. Se os termos homilética, exegese e hermenêutica já complicaram pra você, imagina o estudo e correta aplicação!? E aqui, nem vou falar da vida de oração, moral irrepreensível e o chamado de Deus para o exercício de tal função; afinal de contas se trata da pregação da Palavra de Deus.

Mas será que pode simplificar este assunto? Pode e justamente isto farei agora. Apesar de toda teoria existente é possível ser prático nesta questão Vamos pensar que assim como uma edificação possui estrutura (ou alicerces), ou, o nosso corpo possui um esqueleto com a função de sustentar o corpo, a pregação (ou sermão) tem esta estrutura básica, afim de que por ela seja estruturada a pregação ou sermão.

Antes de pensar na estrutura em si, o pregador deve responder a algumas perguntas para então desenvolver a estrutura do seu sermão. Sugiro estas perguntas:

  • Qual é a mensagem a ser pregada? (Qual tema, qual texto, etc)
  • O que é mais importante nesta mensagem? (qual será o ponto chave do sermão?)
  • Onde será pregada? (Na praça, escola, faculdade, igreja…)
  • Quem são os ouvintes? (Adolescentes, jovens, casais, etc…)

Quando é criado um comercial de TV (por exemplo) a equipe produção define qual é o perfil do público alvo para aquela campanha publicitária. Determinado este perfil é criada a campanha (comercial de TV, inserção em radio, panfletos, etc) para atingir aquele público previamente definido. Tal analise deve ser o mais assertiva possível, caso contrário haverá grande desperdício de recursos e o público não será alcançado. Por exemplo, se meu público alvo são adolescentes (para vender um jogo, por exemplo), meu comercial não pode ir ao ar às 23:00hs do domingo, pois neste horário a maioria dos adolescentes estão dormindo, e os que estão acordados podem não estar com o controle remoto na mão.

Do mesmo modo o pregador dever ser assertivo na hora de preparar seu sermão, e a resposta às questões acima mencionadas certamente irão ajudar nesta tarefa. Apesar da incontestável importância da vida de oração, não entendo que ficar apenas orando, trancado no quarto (ou escritório) serja o bastante. Afinal de contas Deus te deu inteligência e, negligenciar esta capacidade intelectual, dada a nós por Deus, é rejeitar a inteligência que Deus deu a cada um.

Falando na estrutura básica do sermão, mais propriamente dita, podemos determinar três pontos, que para mim são indissolúveis, a saber: Introdução, Argumentação e Conclusão.

  • Introdução – Esta é uma fase importante, pois é nela que o pregador desperta o interesse pela mensagem. É muito deselegante começar o sermão pedindo a atenção de todos. É papel do pregador, através dos seus argumentos despertar a atenção de todos. Causa antipatia agora fará com que a igreja ignore as palavras do pregador. É bom lembrar que a introdução deve ser breve e apenas para anunciar o tema da pregação.
  • Argumentação – É aqui que o pregador desenvolve o sermão. Após a introdução é hora de desenvolver tema já apresentado na introdução. São apresentados os argumentos que fundamentam seu pensamento. E na argumentação que o pregador ensina, consola, exorta, etc. Minha sugestão é ler o texto bíblico escolhido e explicar para a igreja o que a bíblia está ensinando. O pregador deve ter o cuidado de deixar a bíblia falar e não a experiência do próprio pregador. Muitos pregadores fala muito de si mesmo e pouco (ou nada) da bíblia.
  • Conclusão – Qual foi o objetivo deste sermão? Na conclusão o pegador irá “fechar” o assunto abordado. A conclusão também merce especial atenção. Quantos filmes você já assistiu que o final te deixou decepcionado(a). Uma conclusão desastrosa coloca toda sua pregação em descrédito. Lembre-se: Uma conclusão desanimada, deixará os ouvintes desanimados. Pensando no objetivo do sermão, a conclusão é uma síntese do mesmo. Na conclusão será apresentada a aplicação da mensagem à vida do ouvinte.

Veja que são pequenos cuidados que fazem grande diferença na hora da pregação, o sermão não precisa ser longo para ser bom e, nem quer dizer que poucas palavras são eficazes. Cada momento, cada tema, cada dia requer um tipo de argumentação e um tempo para exposição. Acima de tudo respeite o tempo que lhe foi concedido, não passe do horário e se esforce para não terminar muito antes do combinado.

Acima de tudo lembre-se que está em questão a pregação da Palavra de Deus e não o seu próprio pensamento. A responsabilidade do pregador e entregar a Palavra de Deus pra a igreja, pois somente “…a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais afiada que qualquer espada de dois gumes; ela penetra ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e julga os pensamentos e intenções do coração” (Hebreus 4:12).

Por: Ricardo Moreira Braz do Nascimento

1 Homilética: Teoria ou arte da eloquência do púlpito.

2 Exegese: Interpretação gramatical, histórica, jurídica, etc., dos textos e particularmente da Bíblia.

3 Hermenêutica: Interpretação do sentido das palavras. Arte de interpretar leis, códices, textos sagrados, etc.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: