A primeira bíblia impressa do mundo – A Bíblia de Gutenberg

A Bíblia de Gutenberg é o primeiro grande livro impresso na Europa Ocidental a partir de tipos móveis de metal. Ela é um monumento que marca uma virada na arte da produção de livros e na transição da Idade Média para o mundo moderno. A Bíblia foi concluída em Mainz, Alemanha, provavelmente no final de 1455.

Johann Gutenberg, que viveu por volta de 1397-1468, é geralmente creditado como o inventor do processo de produção de um tipo de metal uniforme e intercambiável e de desenvolver os materiais e os métodos para tornar a impressão possível.

Esta Bíblia, com o seu tipo gótico nobre ricamente impresso na página, é reconhecido como uma obra-prima da impressão e do artesanato refinados. O texto é a tradução latina conhecida como Vulgata, feita por São Jerônimo no século IV. A Bíblia foi toda impressa em colunas duplas, em sua maior parte com 42 linhas por página. As letras maiúsculas e os títulos são ornamentados à mão e coloridos. Os três volumes, que datam do século XVI, estão encadernados em pele branca de porco. A cópia da Biblioteca do Congresso foi totalmente impressa em velino, um fino pergaminho feito de pele de animal e é uma das somente três cópias perfeitas em pergaminho conhecidas.

As outras encontram-se na Biblioteca Nacional da França e na Biblioteca Britânica. Por quase cinco séculos a Bíblia esteve em posse da Ordem Beneditina e foi mantida na Abadia de São Brás, na Floresta Negra na Alemanha e, após 1809, na Abadia de São Paulo, na Caríntia, Áustria. O ex libris da Abadia de São Brás aparece em cada volume. Juntamente com outros livros do século XV, a Bíblia foi adquirida da coleção do Dr. Otto H.F. Vollbehr pela Biblioteca do Congresso, por um ato adicional do Congresso em 1930.

Johannes Gutenberg nasceu em Mainz, na Alemanha, por volta de 1400, filho de uma família aristocrática ligada à indústria metalúrgica local. Viveu em Estrasburgo (na França atual) por um tempo, onde ele realizou experiências com tipos metálicos móveis, fabricados através de um molde.

Em meados da década de 1450, ele aperfeiçoou um sistema de impressão com tipos móveis, que usou para criar o que se tornou o livro mais famoso do mundo, a tradução em Latim da Bíblia (Vulgata), geralmente conhecido como a Bíblia de Gutenberg. Os estudiosos têm pesquisado exaustivamente todos os aspectos do trabalho de Gutenberg: a tipologia elaborada, com seus 290 caracteres diferentes oriundos da escrita missal gótica, a forma pela qual ele dividiu o texto no processo de composição, e o papel que usou para a impressão.

No entanto, certos pontos fundamentais sobre a Bíblia de Gutenberg são ainda desconhecidos ou permanecem como matérias de disputa. A data em que a impressão foi concluída baseia-se, unicamente, na anotação “1455” na encadernação do exemplar em papel que se encontra em Paris. Acredita-se que foram impressas 180 cópias da Bíblia, mas esta informação é baseada em uma única carta de Enea Silvio Piccolomini (o futuro Papa Pio II), o qual viu amostras do trabalho de Gutemberg em Frankfurt, em 1455.

Originalmente, Gutenberg desejava imprimir os títulos dos livros da Bíblia em vermelho, mas abandonou esta ideia, usando, ao invés disso, uma tabela impressa em separado, que serviria como modelo para que essas linhas fossem inseridas manualmente. Hoje existem 49 exemplares existentes (nem todos completos) da Bíblia de Gutenberg (12 em pergaminho, 37 em papel).

Fontes: Biblioteca Mundial Digital | http://www.wdl.org

https://www.wdl.org/pt/item/7782/
https://www.wdl.org/pt/item/4102/
A prensa de Gutenberg

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: