A Bíblia Vulgata Latina

A Bíblia Vulgata foi o primeiro livro impresso da história, trabalho realizado na Prensa de Gutemberg por volta 1456. Esta bíblia também foi a primeira no formato que conhecemos hoje, com Antigo e Novo Testamento, lado a lado, em um único livro, sendo hoje referência para algumas traduções atuais.

A Bíblia nasceu como existe hoje, podemos começar lembrando que o manuscrito mais antigo que possuímos hoje data de 850 d.C., portanto o que temos hoje são cópias de cópias que foram sendo copiadas e recopiadas, uma a uma, ao longo dos séculos. E como o tempo de vida útil dos pergaminhos era muito pequeno a forma de não perder o que estava escrito era reescrever várias e várias vezes.

Nos seus primeiros séculos, a Igreja serviu-se, sobretudo da língua grega. Foi nesta língua que foi escrito todo o Novo Testamento, assim como muitos escritos cristãos de séculos posteriores. Como existiam vários manuscritos espalhados por muitos lugares, era difícil saber qual era fidedigno ao original, ou mesmo qual pergaminho era sagrado. Além disto a língua grega já não era mais a língua utilizada pela maioria das pessoas.

Com isto no ano de 382 d.C. Damásio I, então bispo de Roma, elegeu Jeronimo de Strídon (mais conhecido como São Jerônimo) para fazer uma tradução o mais fiel possível dos manuscritos que existia. Sua missão consistia em criar uma versão única dos textos sagrados e usá-la então como referência; uma Bíblia usada para ser a padrão.

Jeronimo estudou hebraico e dedicou 20 anos, junto a outros conceituados rabinos judeus, para a tradução dos textos sagrados da língua original para o latim, examinando cuidadosamente todos os manuscritos que conseguiu localizar. O trabalho de Jeronimo não foi imediatamente aceito, mas se tornou o texto oficial do cristianismo ocidental e até hoje aceita como referência especialmente no catolicismo romano.

O nome “Vulgata” se da vem da expressão latina: “versio vulgata”, (versão dos vulgares). Esta expressão pode ser traduzida para: “escrito na língua de pessoas comuns” (vulgus). Já que era parte do propósito de Jeronimo não somente reunir os textos bíblicos, mas também criar uma versão que pudesse ser mais facilmente compreendida pela maioria da população. Portanto foi escrita em um latim cotidiano, já que os textos existentes antes dela não eram tão claros e de fácil compreensão. O objetivo foi alcançado e a Bíblia Vulgata alcançou das regiões do Mediterrâneo, alcançando até o Norte da Europa.

A Bíblia Vulgata consolidou-se na primeira metade do século XVI, sobretudo a partir da edição da Bíblia de 1532, tendo sido definitivamente consagrada pelo Concílio de Trento, em 1546. O Concílio estabeleceu um texto único para a Vulgata a partir de vários manuscritos existentes, o qual foi ratificado mais uma vez como a Bíblia oficial da Igreja Católica Romana. Porem após o Concílio Vaticano II, por determinação de Paulo VI, foi realizada uma revisão da Vulgata, sobretudo para uso litúrgico. Esta revisão, terminada em 1975, e promulgada pelo Papa João Paulo II, em 25 de abril de 1979, é denominada Nova Vulgata e ficou estabelecida como a nova Bíblia oficial da Igreja Romana .

Por: Ricardo Moreira Braz do Nascimento

Referências:

Sociedade Bíblica do Brasil, História da Tradução da Bíblia: https://biblia.sbb.org.br/historia-da-traducao-da-biblia

Bibliateca, A Vulgata Latina: http://bibliateca.com.br/site/as-primeiras-traducoes/a-vulgata-latina

Abiblia.org: https://www.abiblia.org/ver.php?id=9670

Biblioteca Ortodoxa do Brasil: http://bibliotecaortodoxadobrasil.blogspot.com/2013/09/vulgata-latina.html

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: