A arca de Noé – Um breve estudo

A Bíblia contém muitas histórias extraordinárias, entre elas sem dúvidas está a Arca de Noé e o dilúvio. muitos já se debruçaram em explicar cientificamente (ou negar) a narrativa bíblica referente a Noé. Antes de negar ou afirmar eu proponho um breve resumo sobre a narrativa bíblica em relação a embarcação, em suas medidas, proporções e detalhes que nunca são expostos a nós.

A primeira coisa é pensar que a Arca de Noé nunca foi um tipo de “iate primitivo” para um passeio de fim de semana, imagem que comumente vemos nas imagens para crianças da escola dominical. Claro que esta imagem infantil é extremamente útil para educação bíblica das nossas crianças, e agora eu te convido a subir um degrau no entendimento da narrativa bíblica. 

A história de Noé e sua arca está no livro de Gênesis Capítulo 6. No hebraico a palavra ארון נח (tebbah) é usada para definir a embarcação construída por Noé, conforme relatado no livro de Gênesis. O objetivo da arca era que Noé e sua família fossem salvos do dilúvio. Portanto a arca não era um barquinho para velejar na chuva, mas sim uma embarcação Com um único objetivo: Sobreviver a uma catástrofe global e implacável. Gênesis 7:7 (NTLH): “A fim de escapar do dilúvio, ele entrou na barca junto com os seus filhos, a sua mulher e as suas noras.”

Noé recebeu instruções 120 anos antes do tempo do dilúvio (Gn. 6:3,13,14; 2 Pe 2:5). É possível que o dilúvio tenha sido a última ocasião em que a posição dos pólos se alterou, como consequente desastre ecológico do dilú­vio, devido às mudanças de posição na crosta terrestre. Na arca estavam Noé e sua família, oito pessoas ao todo (Gn. 7:7; II Ped. 2:5) e uma parte de animais imundos, além de sete pares de animais limpos, sete pares de aves e alguns pares de répteis.

A arca de Noé tinha 137 metros de comprimento, 23 metros de largura e 14 metros de altura. Foi construída com madeira de cipreste, embora alguns estudiosos pensem no pinho ou cedro. Havia três andares e estava dividida em compartimentos. Possuía um respiradouro e uma porta em um dos lados.

Foi construída com estanque (ou estancado – que não deixa sair, nem entrar líquido) interna e externamente, com o uso de “piche” (Gn. 6:14 – 8:16). O trecho de Gênesis 6:14 tem sido interpretado como se as tábuas fossem mantidas no lugar por meio de ripas. Sendo assim o conjunto inteiro recebeu uma cobertura de betume. Os animais foram separados por compartimentos (Gn 6:14), ou seja, jaulas e ninhos.

Quanto aos três andares, alguns têm entendido que isso refere-se a três cama­das de tábuas, cruzando-se, formando os lados da embarcação. O respiradouro aparentemente foi feito no teto, para deixar entrar luz e ar. A arca foi feita apenas para flutuar, sem qualquer meio de propulsão ou controle. Ela não precisa navegar, apenas se manter flutuando.

Críticos bíblicos alegam que toda a história não passa de lenda, pois se havia apenas um casal de cada animal, o que eles comeram durante o dilúvio? Porém a bíblia explica que Noé estocou comida para sua família e os animais (Gn 6:21,22), e também uma janela comprida e com meio metro de altura (Gn 6:16; 8:13) para iluminar internamente.

Alguns têm perguntado se uma embarca­ção, por maior que seja, poderia conter representantes de todas as espécies de animais da terra. Quem diz Isto faz uma especulação sem jamais ter lido cuidadosamente a narrativa bíblica, se observar a relação de animais verá que todos são nativos da área onde Noé vivia. Além disto ficaram de fora animais marinhos, vermes, insetos e outros.

Ainda assim estima-se que foram quase 11 mil animais que embarcaram, o que precisaria de 7.800 m3 de espaço, ou seja, 14% do volume da arca. A Arca poderia transportar mais de 100 mil animais do tamanho de uma ovelha. Ela poderia suportar a carga de 17 mil toneladas. Isso dá para suportar mais de 2430 elefantes africanos.

Outra especulação é sobre a possibilidade destes animais viverem em harmonia, ainda que por pouco tempo, até o fim do dilúvio. Mas se considerarmos que a arca era escura e úmida, podemos supor (com ótimo grau de precisão) que a maioria dos animais hibernaram durante toda a estadia na arca.

Outra questão é se perguntar por que levar animais adultos poderia levar apenas animais jovens, Assim ganharíamos tanto na facilidade em cuidar desses animais dentro da arca e a sua longevidade após o dilúvio.

 

Por: Ricardo Moreira Braz do Nascimento

 

Referências Bibliográficas

WILLIAMS, Derek. Dicionário Bíblico Vida Nova. Ed. Vida Nova, São Paulo 2000
CHAMPLIN, Russell Norman. O Novo Testamento Interpretado: versículo por versículo: Volume 4: São Paulo: Hagnos, 2002.
TENNEY, Merril C. - Enciclopédia da Bíblia Vol. 5. São Paulo: Cultura Cristã, 2008
SINCLAIR, Ferguson B. Novo Dicionário de teologia. São Paulo: Hagnos, 2009
STEIN, Alexander Vom. Criação - SCB - Casa Publicadora Brasileira, 2007
BAERG. Harry J. O Mundo já foi Melhor - CPB - Casa Publicadora Brasileira, 1992
BORGES, Michelson. História da Vida - CPB Casa Publicadora Brasileira, 2011
_____, Comentário Bíblico Universal, vol. 1 - CPB. Casa Publicadora Brasileira, 2011

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: