O que você precisa saber sobre o processo de crucificação

A cruz era uma antigo instrumento de tortura e morte, formado por duas vigas, uma atravessada na outra, em que eram pregados ou amarrados os condenados; em linhas gerais era uma estaca usada para punição e execução de criminosos. No Antigo Testamento a execução se dava por apedrejamento, portanto não havia crucificação, embora às vezes fossem pendurados cadáveres em árvores como aviso (Dt 21.22; Gl 3.13).

Os fenícios e os cartagineses a praticavam; mais tarde os romanos a empregaram em grande escala, raramente para cidadãos romanos, mas em geral para escravos, provincianos e criminosos de mais baixo calão. Deste modo, a tradição diz que Pedro (judeu) foi crucificado, mas Paulo (cidadão romano) foi decapitado está de acordo com o costume antigo. Havia três tipos de cruz: a de Sto. Antônio em forma de “T” (também chamada de Tau, T no alfabeto grego); a de Sto. André em forma de “X”; e a cruz em forma de punhal, que parece ter sido aquela em que Jesus foi crucificado, por causa da inscrição pregada acima de sua cabeça.

Depois que um criminoso era condenado, era “açoitado” com um chicote de tiras de couro e em seguida obrigado a carregar a trave da cruz como um escravo até o local de sua execução, fora da cidade.

Era despido, deitado no chão com a viga da cruz sobre os ombros e os braços ou mãos amarradas ou pregadas a ela. A trave era erguida e segurada na vertical, de modo que os pés da vítima (que eram amarrados ou pregados) ficassem afastados do chão. A maior parte do peso do corpo era sustentada por uma estaca atravessada, sobre a qual a vítima se sentava. Era deixado assim para morrer por exaustão. Às vezes quebravam-lhe as pernas para apressar a morte, o que não ocorreu n o caso de Jesus.

Os restos de uma pessoa crucificada entre 7 e 66 d.C. encontrados em Jerusalém apresentavam as pernas torcidas de modo que as panturrilhas ficaram paralelas à trave da cruz; isso deve ter causado forte dor, espasmos e terríveis cãibras, que contribuíram para uma morte mais rápida. Escritores da época descrevem essa forma de morte cruel e degradante como algo muito doloroso, mas os evangelhos não dão descrição detalhada dos sofrimentos de Jesus.

Os escritores do NT estão mais interessados no significado teológico do que aconteceu. Por meio da cruz, Deus reconciliou judeus e gentios uns com os outros e com ele mesmo (Ef 2.14). Como a forma mais baixa de execução, ilustrou a humildade de Jesus (Fp 2.8), fato que os judeus acharam difícil entender no Messias (1Co 1.23). A visão muito conhecida e vergonhosa de vítimas carregando as partes da cruz foi usada para ilustrar o caminho do discipulado (Mc 8.34).

Por: Ricardo Moreira Braz do Nascimento

Referências:

Dicionário Bíblico Vida Nova, Editora Vida Nova

Dicionário de Vocábulos, Editora SBB

Dicionário da Bíblia de Almeida, Editora SBB

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: